Entrevista com a Chef Mônica Rangel

« Ir para página principal
Entrevista com a Chef Mônica Rangel

Mineira de Juiz de Fora, Mônica comanda há 20 anos com sucesso, os fogões do simpático restaurante Gosto com Gosto, em Visconde de Mauá- RJ. Considerado o Melhor Restaurante Mineiro pelo Guia 4 Rodas desde 2003. Além disso, Monica, como grande defensora da gastronomia brasileira, participa e promove diversos eventos nacionais e internacionais, levando seu conhecimento e falando sobre a necessidade de valorizar nossa cultura e gastronomia. A Chef também participa como jurada do  programa “Cozinheiros em Ação” no canal GNT com Olivier Anquier.

Monica começou ainda criança na cozinha, ao lado de sua mãe a avó. Demonstra ser uma mulher de fibra, determinada, dedicada e muito amorosa com a família.

O Receitas e Temperos conhecendo melhor a história dessa Chef, fez questão de preparar essa entrevista e compartilhar com todos vocês esse lindo exemplo. Confiram!

 

Parte 1: ENTREVISTA:

1-      Você diz que começou na cozinha desde criança, ao lado de sua mãe e avó. Qual o prato que elas preparavam que você mais gostava? E qual o prato que você mais gostava de fazer na infância?

R: Como toda criança e de origem mineira, me enchia os olhos eram os bolos e biscoitos que fazíamos.

2-      Por ter começado cedo na cozinha, qual a principal lição de vida que você leva até os dias de hoje?

R: Que temos que ter amor no que fazemos e muita dedicação. Essa é a receita do sucesso e sem isso não chegamos a lugar nenhum.

3-      Em que momento da sua vida você decidiu que recomeçaria tudo com foco no mundo da gastronomia?

R: Quando me mudei para Visconde de Mauá vi que seria possivel, financeiramente falando,  abrir meu restaurante.

4-      Quando começou sua carreira, você tinha algum ídolo culinário ou algum modelo desse tipo de profissional em mente?

R: Quando comecei não existia glamour na cozinha e os chefs de cozinha se limitavam a ela. Tinham pessoas que eu admirava muito como D. Nelsa (Xapuri) e D. Lucinha (restaurante do mesmo nome) que levavam a gastronomia mineira no braço. Com relação aos chefs de fora,  que na epoca eram os unicos com uma certa fama,  tinha como idolos o Laurent e o Claude pois os mesmos valorizavam nossos ingredientes. Eles nos ajudaram muito no processo de valorização do que é nosso.

5-      Quem mais te incentivou a seguir em frente com essa profissão?

R: Claudio, meu marido, sócio e companheiro de todas as horas. Os filhos na epoca eram bem pequenos mas participaram desse processo ao longo dos 20 anos.

6-      Voltando no tempo, há 20 anos atrás onde tudo começou, qual era o seu sonho?

R: Ter uma boa comida mineira e criar um Guia com excelentes restaurantes mineiros pelo Brasil para nós brasileiros pois não existia orgulho com nossa comida e com nossas tradições.

7-      Hoje, passado esse tempo você alcançou seu objetivo ou ainda tem muitas metas para atingir?

R: Esse objetivo eu deixei de lado pois não foi necessário criar mais 1 guia e o processo de amor ao que é nosso começou a nascer. Acredito que sem metas a gente morre ou se acomoda. Tenho muitas metas e objetivos na vida e mostrar a verdadeira gastronomia brasileira ao mundo é minha atual luta.

8-      Você se considera uma pessoa feliz e realizada?

R: Altamente feliz e realizada. Tenho filhos fantasticos, uma neta linda e iluminada. Um marido parceiro e uma profissão que amo de paixão. O que posso querer mais?? Mas quero mais, muito mais. heheheheh

9-      Atualmente, como funciona sua rotina entre trabalho e família?

R: Me dedico 100% a tudo que me proponho. Se estou na cozinha estou 100% e se com a familia a mesma coisa. A vida nunca é facil e tenho 1 filho em cada lugar e isso dificulta um pouco mas sempre que posso corro para eles.

10-   Em que momento da sua vida você sentiu que estava no caminho certo e as coisas começaram a acontecer com sucesso?

R: Eu já abri o restaurante com a sensação de que estava no caminho certo, mesmo com as pessoas dizendo que eu deveria seguir outra linha de cozinha. Como disse o sucesso é resultado da dedicação e persistência. Mas ainda falta muito a alcançar e isso é muito bom. Adoro desafios e caminhos a trilhar

11-   Nas horas livres, qual é a sua principal diversão ou o que te dá mais prazer?

R: Adoro estar com meus filhos, minha neta e meus cachorros. Gosto de ler, lidar com a terra e cozinhar. heheehh

12-   Se você não fosse Chef, o que gostaria de ser?

R: Veterinária. Amo os animais e me sensibilizo com a causa do Bem Estar deles.

13-   Quais são seus projetos para o presente e futuro?

R: Um dos projetos que estou engajada é continuar apresentando a real cozinha brasileira aos brasileiros e ao mundo. Digo real cozinha brasileira porque ela tem o seu lado tradicional e o seu lado de fusão com outros povos que influenciaram nossa gastronomia. Não somos só caipirinha e feijoada.

14-   Qual o seu recado para quem está começando nessa área?

R: Persistência e dedicação se quer chegar em algum lugar.

15 – O que você acha que aconteceu no Brasil para a gastronomia brasileira ficar em evidência?

R: Acho que estamos nos mirando em um modelo melhor agora. O Brasil está atrasado na valorização da sua gastronomia, seja por sua grande extensão territorial ou por tentarmos ser sempre o que não somos. O que importa é que estamos em evidencia para o mundo em todas as áreas e não só na gastronômica. O mundo quer conhecer nossas cores e nossos sabores e temos que estar preparados para isso, com orgulho do que temos e do que somos.

16- Na sua opinião, qual o principal diferencial da gastronomia brasileira, comparada a outros países?

R: A grande quantidade e variedade de ingredientes que temos a disposição. Ingredientes frescos e de boa qualidade. Com a valorização da nossa gastronomia e de nossos profissionais estamos expandindo isso para o campo tambem e com isso temos melhores cafés, melhores legumes, frutas….. estamos valorizando quem planta e isso é muito bom.

 

Parte 2: PANELA DE PRESSÃO:

(O Receitas e Temperos começa a frase e a Chef completa)

1-      Eu sou… intensa.

2-      O que eu mais gosto de preparar é… carne de porco.

3-      Eu adoro comer… doces.

4-      A melhor comida para mim é… a bem feita.

5-      O prato que eu fiz que mais recebeu elogios foi… o brasileirinho (doce de limão recheado de doce de leite).

6-      Na cozinha, os ingredientes indispensáveis para mim são… os  temperos, tempero é amor.

7-      O utensílio que eu mais uso é… colher de pau.

8-      Comida brasileira é… paixão.

9-      Minha principal descoberta na gastronomia foi… que quanto mais simples mais dificil.

10-   Eu adoro cozinhar porque… me faz feliz, muito feliz.

 

Parte 3: RECEITA:

E para finalizar com chave de ouro a Chef Mônica Rangel compartilha com a gente uma receita pra lá de especial. Confiram e preparem em casa essa delícia!

Pudim de Queijo-de-Minas com Pétalas de Laranja da Terra

Para o pudim:

  • 430 g de leite condensadoEntrevista com a Chef Mônica Rangel
  • 316 g de queijo-de-minas em pedaços
  • 630 g de leite
  • 50 g de açúcar
  • 4 ovos
  • Manteiga e açúcar para untar e polvilhar as forminhas 
  1. Bata todos os ingredientes no liquidificador e distribua-os nas forminhas untadas.
  2. Asse-as em banho-maria, em forno a 180°, por 1 hora.
  3. Deixe esfriar e leve-as para gelar.

Para o doce de laranja da terra:

  • 8 laranjas
  • 200 g de açúcar
  • 800ml de agua 
  1. Rale a parte amarela da laranja e corte em 4 gomos.
  2. Retire os gomos internos, ficando só o bagaço
  3. Leve os bagaços para ferver, troque a agua e vá provando essa agua até perder todo o amargo. Isso deve levar uns 4 ou 5 dias.
  4. Lave os bagaços e leve a calda de açucar

Montagem:

  1. Desenforme o pudim.
  2. Monte uma flor usando o pudim como miolo.

Rendimento: 30 porções individuais

 

Receita cedida pela Chef Monica Rangel

www.gostocomgosto.com.br

 

O Receitas e Temperos agradece a atenção e a entrevista!

Siga-me

« Voltar

2 comentários a “Entrevista com a Chef Mônica Rangel

Deixe um comentário

Campos obrigatórios são marcados * (O seu endereço de email não será publicado)